Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

28 agosto 2020

Tratamento regenerador não cirúrgico em Ortopedia: Plasma Rico em Plaquetas

O Plasma Rico em Plaquetas (PRP’s), vulgarmente conhecido como “fatores de crescimento” plaquetários, são amplamente usados na atualidade para o tratamento de várias patologias ortopédicas.

Trata-se da injeção de concentrado de plasma (sangue centrifugado) colhido do próprio doente, que é depois usado como regenerador de tecidos (tendões, músculos, ligamentos, cartilagem) com vista a curar lesões ou protelar procedimentos cirúrgicos.

Este é um procedimento partilhado por várias especialidades, nomeadamente a Cirurgia Plástica e Estética, Ortopedia e Medicina Desportiva, tanto em atletas, como na população geral, com taxas de sucesso promissoras, dependendo da especificidade da patologia em causa.

O PRP define-se como “uma fração do sangue autólogo, que possui uma concentração de plaquetas acima do valor normal”. As primeiras descrições desta terapia remontam aos anos 90, sendo aplicada na Medicina Desportiva desde 2003.

A Tendinopatia é o termo usado para designar a tríade de dor, edema e disfunção dos tendões, sendo causa frequente de dor. As lesões tendinosas (desgaste dos tendões), musculares e dos ligamentos são frequentes em jovens e adultos de meia-idade, provocando com frequência dor persistente.

A maioria destas lesões são tratadas conservadoramente com recurso a anti-inflamatórios ou tratamentos de fisioterapia. Contudo, a hipovascularização dos tendões e ligamentos condiciona a sua lenta cicatrização, provocando dor que, muitas vezes, não responde ao tratamento conservador. No sentido de colmatar estas lacunas, surgem estas novas opções de tratamento, que permitem um retorno célere e precoce às atividades diárias e desportivas, com menores taxas de recidiva.

A aplicação de PRP’s pode ser feita por si só, através de uma simples injeção, ou como adjuvante de procedimentos artroscópicos ou miniinvasivos, com melhoria funcional e clínica, potenciando o resultado final do tratamento.

Na minha área de especialização, Ortopedia e Medicina Desportiva, os PRP’s são usados com vista a acelerar a cicatrização ou tentativa de regeneração de lesões dos tendões ou ligamentos e regeneração de lesões de cartilagem. Segundo a evidência científica atual, a aplicação de PRP’s é eficaz, segura, e com taxas de sucesso muito promissoras, permitindo, ainda assim, o recurso a tratamentos adicionais, no caso de serem necessários.

Redigido por Dr. Rui Pimenta (OM46311), Médico Especialista em Ortopedia e Traumatologia e em Medicina Desportiva, Pós-Graduado em Medicina Desportiva, no Trofa Saúde Hospital da Trofa, Alfena, Braga Sul, Hospital Central (em Vila do Conde) e Vila Real

Voltar

21 outubro 2020

Fatores de risco da insuficiência venosa

16 outubro 2020

Testes COVID-19 em formato Drive-thru

12 outubro 2020

Osteoporose: um inimigo a evitar