Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

13 abril 2018

Rouquidão: da causa ao tratamento

A voz é dos principais meios de comunicação do ser humano com o que o rodeia, particularmente com os seus semelhantes.

A disfonia ou rouquidão é definida como uma alteração na normal emissão da voz (no volume ou qualidade do tom), podendo interferir na qualidade de vida do indivíduo, a nível social e profissional. Frequentemente resolve-se em menos de 15 dias (aguda), podendo prolongar-se além deste período (crónica).

A sua prevalência relaciona-se com vários fatores, tais como idade (mais frequente nas crianças, adultos por volta dos 40 anos e idosos), sexo feminino, uso vocal inapropriado ou excessivo (como é o caso de professores, cantores ou operadores de telemarketing), tabagismo ou alcoolismo, ou presença de problemas de saúde (tais como: alergias respiratórias, alterações hormonais, refluxo gastroesofágico, medicação crónica, entre outros).

Muitas vezes a rouquidão associa-se a outros sintomas, tais como cansaço ou dor ao falar, dor e garganta seca, tosse, falta de ar, pigarro ou até perda vocal total.

Os distúrbios vocais podem ser causados por alterações orgânicas, funcionais ou mistas. As primeiras resultam num atingimento direto da laringe por inflamação ou infeções (tais como laringite ou faringite), lesões nas cordas vocais (como pólipos, nódulos, tumores) ou paralisia. Já as segundas são devidas a uso inadequado da voz, quer por abuso ou má relação entre fala e respiração, mas sem resultar em dano direto.

O diagnóstico envolve na maioria dos casos a avaliação pelo otorrinolaringologista, recorrendo a exames específicos no qual é possível observar as cordas vocais e identificar lesões presentes nas mesmas que podem ser a causa da rouquidão, como é o caso da fibrolaringoscopia ou laringoscopia.

O tratamento da disfonia depende da causa. Na rouquidão funcional, o principal tratamento é a terapia da fala, na qual se aprende a utilizar a voz duma forma mais adequada às necessidades, causando um menor esforço e dano à laringe. Nos casos de rouquidão orgânica, o tratamento é dirigido.

Em caso de infeção ou inflamação, o tratamento médico por vezes é suficiente, muitas vezes aliado ao repouso vocal durante a recuperação. No caso de lesões mais complexas, como nódulos, pólipos ou suspeitas de malignidade, necessitam de remoção cirúrgica (através da chamada fonomicrocirurgia, a frio ou LASER em casos selecionados).

Em todos os casos, medidas de higiene vocal são fundamentais na prevenção e cura da rouquidão. São elas o repouso vocal, hidratação oral com água tépida, evitar fumar e abusar do álcool, evitar pigarrear e exposição a ar condicionado durante longos períodos.

A procura do otorrinolaringologista deve ser feita se mesmo após estes cuidados, a rouquidão durar mais que 15 dias, estiver associada a outros sintomas ou aparecer em pessoas de risco como referido. Um diagnóstico precoce aliado a um tratamento imediato e eficaz proporciona um melhor prognóstico de recuperação completa e sem sequelas.

No Trofa Saúde Hospital pode contar com uma equipa de Otorrinolaringologistas disponível em horário alargado e com capacidade para tratar o seu problema. Para um melhor acompanhamento e tratamento, marque a sua consulta e tire as suas dúvidas com os nossos especialistas.


Redigido por Dr.ª Sandra Gerós (OM48750), Otorrinolaringologista no Trofa Saúde Hospital na Maia e Trofa.

 

Voltar

23 novembro 2020

Marcação Testes COVID-19 através da APP Trofa Saúde

19 novembro 2020

Contraceção de longa duração

30 outubro 2020

Cancro da Mama em tempos de Pandemia