Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

11 setembro 2019

Quistos sinoviais do punho e mão

Os quistos sinoviais são os tumores benignos mais comuns do punho e da mão sendo constituídos por um conteúdo mucoso (mucina). Geralmente encontram-se sobre uma articulação ou tendão estando conectados à cápsula da articulação sinovial ou à bainha sinovial do tendão, respetivamente.

Ocorrem mais frequentemente no sexo feminino, geralmente entre a 3ª e 5ª década de vida. Apesar de poderem ocorrer em qualquer articulação surgem mais comummente no dorso do punho (60-70%) com origem na articulação escafolunar. Outras localizações são a região palmar do punho com origem nas articulações radiocárpica ou escafotrapeziotrapezoide e no dorso dos dedos sobre a articulação interfalângica distal.

A origem dos quistos sinoviais é maioritariamente desconhecida, embora em alguns casos possa estar associada a um evento traumático ou a patologia intra-articular pré-existente.

APRESENTAÇÃO CLÍNICA
Os quistos sinoviais podem ter início súbito ou desenvolverem-se de forma indolente ao longo de várias semanas ou meses. Normalmente não são dolorosos, podendo no entanto causar incómodo por questões estéticas. Em alguns casos os quistos podem estar associados à presença de dor mesmo em casos de quistos ocultos. A história natural dos quistos sinoviais é variável. O seu volume pode aumentar, diminuir e em alguns casos desaparecer espontaneamente.

DIAGNÓSTICO
O diagnóstico de um quisto sinovial é clínico com base na história clínica e no exame físico. Os quistos sinoviais podem estar associados a outras condições como a compressão do nervo mediano no punho (síndrome do túnel do carpo) ou a compressão do nervo cubital. A isquemia da mão por oclusão vascular é rara.
A ecografia apresenta elevada sensibilidade permitindo na maioria dos casos o diagnóstico da lesão. A ressonância magnética também pode ser útil principalmente em casos de quistos ocultos ao mesmo tempo que permite avaliar patologia intra-articular associada.

TRATAMENTO
O tratamento conservador é o tratamento de escolha inicial tendo por base o controlo sintomático através de analgesia e da imobilização da articulação com uma ortótese.

A aspiração dos quistos pode ser equacionada, no entanto este procedimento está associado a taxas de recorrência elevadas. A aspiração dos quistos sinoviais volares do punho não é recomendada pelo risco de lesão arterial.

A exérese cirúrgica está indicada nos casos de quistos sinoviais sintomáticos refratários ao tratamento conservador ou por questões de natureza estética.

A cirurgia pode ser realizada através da técnica convencional ou através de um procedimento menos invasivo com recurso à artroscopia. Ambas as técnicas apresentam excelentes resultados a médio e longo prazo, no entanto a cirurgia artroscópica permite uma recuperação mais rápida com retorno mais precoce à atividade. A artroscopia apresenta vantagens no que se refere ao diagnóstico e consequente tratamento de lesões intra-articulares associadas.

As complicações da cirurgia são raras. Seguindo uma técnica rigorosa, a recidiva é muito rara.

Redigido por Dr.ª Mariana Ferreira (OM53158), Ortopedista especializada em Mão/Punho/Cotovelo no Trofa Saúde Hospital na Trofa

Voltar

28 novembro 2019

Cirurgia plástica e reconstrutiva da uretra e do pénis

10 novembro 2019

A Imagiologia na patologia fistulosa perianal

04 novembro 2019

Obesidade — do estigma social ao tratamento cirúrgico