Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

06 dezembro 2020

Lesão SLAP: a dor no ombro (quase) sempre desconhecida

Se alguma vez sentiu dor na parte superior e anterior do ombro, estalidos associados aos movimentos, dor em atividades com os membros superiores elevados, e dor desencadeada pela carga excêntrica dos bicípites, então é possível que tenha uma lesão SLAP.

Para sabermos o que isso é, temos de começar por dizer que o ombro é um tipo de articulação esférica, anatomicamente conhecido como articulação gleno-umeral, devido às duas estruturas ósseas envolvidas. Uma das estruturas é uma cavidade e chama-se glenoide, um pedaço de osso em forma de taça que se projeta da omoplata. Esta cavidade tem um rebordo constituído por uma fibrocartilagem chamada labrum. A outra estrutura é uma esfera que se encaixa na taça, a cabeça (parte superior) do úmero (osso do braço).

A parte superior do labrum serve de fixação a um dos dois tendões do músculo bicípite, denominado “longa porção”. Este tipo de fixação é único no organismo, e é mais frágil do que se acontecesse diretamente no osso. Esta longa porção do bicípite tem um trajeto bastante complexo, uma vez que sobe pela parte anterior do braço, entra numa espécie de canal estreito, depois descreve uma curva de cerca de 90 graus até se inserir no labrum superior e através deste no osso. Em certos movimentos esforçados, a cabeça do úmero pode atuar como uma alavanca e causar o arrancamento deste tendão e do labrum onde ele se insere. Esta lesão acontece arrancando o tendão da frente para trás (ântero-posterior). Por isso, a esta lesão dá-se o nome de SLAP (Superior Labrum Anterior-Posterior).

É uma lesão que ocorre, frequentemente, em desportistas quando fazem, por exemplo, uma sobrecarga em supino, um levantamento de peso, ou um lançamento. Como na maioria das vezes a lesão inicial não cicatriza adequadamente, a dor vai piorando com o decorrer do tempo.

Os principais fatores de risco para o aparecimento desta patologia são a prática de desportos de contacto e a sobrecarga.

Dependendo do tipo e gravidade da lesão, o labrum rompe-se de diferentes maneiras. Estas são classificadas em graus, servindo de guia para o tratamento.

O diagnóstico e classificação desta lesão só são possíveis através de Ressonância, daí que muitas vezes passe despercebida. O tratamento inicial consiste em analgésicos e anti-inflamatórios que ajudam a controlar a dor. A fisioterapia pode ter um papel importante na tentativa de compensação da lesão.

A cirurgia é recomendada quando não há melhoria com medicação, e quando impede a pessoa de efetuar os esforços ou movimentos de que necessita. Depois de tratado, o atleta pode continuar a praticar os seus desportos e/ou treinos. As lesões SLAP podem ser reparadas por artroscopia através de 2 ou 3 pequenas incisões: algumas lesões SLAP podem ser simplesmente desbridadas e limpas, enquanto a maioria precisa de reparação para reinserção no local ou de uma tenodese do tendão da longa porção do bicípite.

O melhor tratamento é, contudo, a prevenção! Por isso, o aquecimento adequado antes da atividade física, a evicção de desportos de grande contacto físico e um bom reforço muscular (devem ser trabalhados exercícios que desenvolvam os músculos ao redor do ombro, sobretudo os rotadores da coifa e os estabilizadores escapulotorácicos), continuam a ser a melhor prevenção de lesões no ombro. Caso sinta dor no ombro consulte o seu ortopedista.

Redigido por Dr. Nuno Vieira Ferreira (OM44214), Ortopedista especializado em Ombro no Trofa Saúde Braga Sul, Braga Centro, Hospital da Trofa e Barcelos

Voltar

04 março 2021

A obesidade em tempos de pandemia!

15 fevereiro 2021

Aumento de volume da glândula tiroideia

12 fevereiro 2021

Lesões de cartilagem do tornozelo: tratamento artroscópico