Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

03 janeiro 2018

Hérnia discal cervical - do diagnóstico ao tratamento

Se sente dor no pescoço, que se espalha para os ombros, braços e mãos e sensação de formigueiro ou dormência nas mãos, pode ter uma HÉRNIA DISCAL CERVICAL.

A hérnia de disco cervical ocorre quando um fragmento da parte interna do disco (o núcleo pulposo) escapa através de uma rotura na camada externa (o anel fibroso). Pode ocorrer em qualquer idade e está relacionada, geralmente, com o processo degenerativo da coluna vertebral, embora possa também ser provocada por um traumatismo. Normalmente o desenvolvimento destas alterações deve-se a um conjunto de fatores como: má postura, sedentarismo, movimentos repetitivos, stress e fatores genéticos.

Dado que a região cervical tem ligação com diversas partes do corpo (cabeça, ombros, tórax e região lombar), tarefas simples do quotidiano podem ser desconfortáveis e dolorosas.

Os sintomas de hérnia mais frequentes são espasmos musculares, dificuldade nos movimentos do pescoço, dor que começa na nuca e irradia para os ombros e couro cabeludo, sensação de peso nos ombros e parte alta das costas por vezes acompanhada de ardência, formigueiro ou dormência dos braços e mãos, dores de cabeça e diminuição da força num ou nos dois braços. Na região cervical, a hérnia pode comprimir uma das raízes nervosas cervicais e o sintoma principal é uma dor forte num dos braços (braquialgia), ou pode comprimir a medula provocando uma quadro neurológico grave (mielopatia).

Embora o médico possa ter uma suspeita com base nos sintomas e exame clínico, o diagnóstico da hérnia discal cervical é feito com recurso a exames de imagem, realizados no Trofa Saúde Hospital com equipamentos de última geração.

O exame mais rápido e acessível é a RADIOGRAFIA DA COLUNA CERVICAL, que permite ver alterações degenerativas da coluna cervical, mas não permite efetuar o diagnóstico. A TAC já permite efetuar o diagnóstico da hérnia mas não é o exame que apresenta as melhores imagens sobre as partes moles e sobre a compressão da medula ou sobre as raízes nervosas. O exame essencial para o diagnóstico é a RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NUCLEAR que permite ver as características dos discos e aferir o diagnóstico preciso. É um exame mais caro e demorado, mas não implica radiação para o doente. Também poderá ser necessário realizar uma ELECTROMIOGRAFIA, para análise do grau de atingimento das raízes nervosas, e despiste da compressão de nervos periféricos.

Depois do diagnóstico de HÉRNIA DISCAL CERVICAL, o que fazer? Embora na maior parte das vezes haja dor acentuada no pescoço e por vezes nos braços, esta vai passando com o tempo e com tratamento conservador, ou seja, com medicação analgésica e/ou anti-inflamatória, relaxantes musculares, calor e massagens ou Fisioterapia.

Nos doentes com dor resistente ao tratamento, é necessário operar. A cirurgia de hérnia, em casos com boa indicação, dá uma percentagem de cura elevadíssima, com uma boa recuperação e poucas dores. Há vários tipos de cirurgias de hérnia discal cervical, mas a mais comum é através de uma incisão anterior transversal do pescoço, com extração da hérnia e do disco intervertebral, e substituição por uma cage cervical (espaçador com espaço no meio), mantendo a altura entre as vertebras e sua fusão.

No Trofa Saúde Hospital temos todas as condições para o diagnóstico e tratamento da Hérnia Discal Cervical e uma equipa multidisciplinar constituída por um corpo clínico especializado de cirurgiões, fisiatras e fisioterapeutas.

Quer saber mais sobre esta cirurgia? Clique aqui e veja o vídeo que preparámos para si.

Redigido por Dr.ª Helena Vaz (OM28003), Ortopedista especializada em Coluna no Trofa Saúde Hospital em Braga Sul, Trofa e Famalicão e Dr. Nuno Bastos (OM41041), Ortopedista especializado em Coluna no Trofa Saúde Hospital na Trofa e Famalicão.

 

Hérnia Discal Cervical - Do diagnóstico ao tratamento

 

 

Saiba mais sobre a Ortopedia do Trofa Saúde Hospital aqui.

Voltar

26 março 2020

Maternidade no Trofa Saúde Hospital na Trofa

05 março 2020

Cancro do pulmão: abordagem multidisciplinar

01 março 2020

Pólipos da Vesícula