Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

25 abril 2018

Encurvamento peniano

A curvatura mais ou menos acentuada do pénis ocorre em muitos homens, podendo ser congénita ou adquirida. Enquanto que o encurvamento congénito é raro e a maioria não necessita de tratamento, o encurvamento adquirido (doença de La Peyronie) é mais frequente, afetando sobretudo indivíduos entre os 45 e 60 anos. É caracterizado pela formação de uma placa de tecido fibroso numa zona do pénis, com perda de elasticidade e com o consequente encurvamento peniano durante a ereção. Mediante a curvatura, o ato sexual poderá ficar comprometido, desencadeado dores ou até mesmo impossibilitando-o.

A doença de La Peyronie causa desconforto pelas alterações fisiológicas e funcionais associadas, tendo um grande impacto na vida do homem. A causa da doença é desconhecida, porém acredita-se que tenha origem em traumatismos repetidos que ocorrem durante o ato sexual, com lesão microvascular. Desenvolve-se uma resposta inflamatória que culmina com o aparecimento de uma placa de tecido fibroso, originando o encurvamento peniano.

A doença de La Peyronie está associada a algumas comorbilidades e fatores de risco, nomeadamente diabetes, hipertensão arterial, dislipidemias, doença de Dupuytren, tabaco e consumo excessivo de álcool.

O diagnóstico é sobretudo clínico, baseando-se na avaliação dos sinais e sintomas do doente (dor na ereção, curvatura, existência de nódulos palpáveis, rigidez...), a sua duração e a existência ou não de disfunção erétil. Inicialmente é referido pelos doentes a existência de uma ereção dolorosa que com o aparecimento das placas de fibrose usualmente desaparece, surgindo a curvatura peniana.

Para o tratamento desta patologia existe um leque alargado de opções terapêuticas, desde fármacos orais até à cirurgia. O tratamento conservador pode ser realizado com fármacos orais, injeções intralesionais ou tratamentos tópicos. É aplicado quando a doença ainda está numa fase inicial. A Vitamina E, o tamoxifeno e o para-aminobenzoato são os fármacos orais mais usados, porém apresentam eficácia limitada. A injeção de fármacos (esteroides, colagenase do Clostridium, verapamil e interferão) diretamente nas placas penianas permite uma redução da fibrose. Apesar dos tratamentos conservadores melhorarem as ereções dolorosas na maioria dos homens, apenas uma minoria apresentará melhoria da curvatura peniana. A cirurgia é o tratamento indicado em doentes com curvatura acentuada que dificulta ou impossibilita o ato sexual. Estes doentes devem apresentar estabilidade no processo fibrótico sem agravamento da curvatura há pelo menos 3-6 meses para poderem ser submetidos a cirurgia.

O Trofa Saúde Hospital dispõe atualmente de um tratamento inovador, no alívio da dor e diminuição da curvatura peniana, que se baseia na aplicação tópica de verapamil associada a ondas de choque de baixa intensidade. As melhorias apresentadas pelos nossos doentes têm sido significativas e de acordo com as suas expectativas, sendo um tratamento a considerar na abordagem desta doença.

Se sofre desta patologia não deixe que esse problema continue a afetar a sua qualidade de vida e visite um dos Urologistas no Trofa Saúde Hospital. Dispomos de uma equipa de Urologia diferenciada e dedicada, disponível em horário alargado, com capacidade para o ajudar a tratar o seu problema.

Redigido por Dr. António Pedro Carvalho (OM38892), Coordenador de Urologia no Trofa Saúde Hospital em Braga Centro, Braga Sul, Famalicão e Trofa

 

Voltar

23 novembro 2020

Marcação Testes COVID-19 através da APP Trofa Saúde

19 novembro 2020

Contraceção de longa duração

30 outubro 2020

Cancro da Mama em tempos de Pandemia