Voltar

Notícias e Eventos

Últimas entradas sobre a nossa atividade

05 março 2020

Cancro do pulmão: abordagem multidisciplinar

O cancro do pulmão é uma das principais causas de morte por doença oncológica em Portugal, sendo o tipo de cancro com maior incidência e o que mais mata em todo o mundo.

A poluição atmosférica e a exposição a substâncias como o radão e o amianto podem estar na origem desta patologia, mas o principal fator de risco é o tabagismo, 85% a 90% dos casos de cancro do pulmão ocorrem em fumadores. A exposição passiva ao fumo do cigarro ambiente também é um fator de risco.

Como em muitas formas de cancro, a existência de uma predisposição genética facilita a ocorrência de alterações celulares que conduzem à doença. Pessoas com tuberculose, silicose ou Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC) também são mais suscetíveis.

Ao longo da última década, o tratamento do cancro do pulmão evoluiu rapidamente. Novos avanços científicos e clínicos modificaram o padrão de abordagem a esta patologia o que levou a melhores resultados para os doentes. Ao mesmo tempo, o tratamento do cancro do pulmão tornou-se cada vez mais complexo, exigindo uma avaliação cada vez mais abrangente e multidisciplinar com o objetivo de abordar esta doença em toda a sua complexidade – genética, radiologia, cirurgia, quimioterapia, radioterapia e muito mais. Como resultado, a harmonia e a comunicação aberta entre estas especialidades, facilitadas por uma abordagem de equipa multidisciplinar, são cruciais para oferecer o melhor atendimento aos doentes e garantir o sucesso do tratamento.

A abordagem multidisciplinar é, assim, a pedra angular do tratamento do cancro do pulmão no mundo desenvolvido. O impacto da abordagem multidisciplinar no tratamento do cancro do pulmão vai desde a precisão do estadiamento, acesso a investigações de diagnóstico céleres, melhorias na tomada de decisão clínica, melhor utilização dos serviços de cirurgia, radioterapia, oncologia e cuidados paliativos e melhor qualidade de vida dos doentes. A abordagem multidisciplinar melhora a coordenação do atendimento, levando a uma melhor experiência do doente e reduz os tempos de espera. Além disso, as evidências sugerem que o modelo multidisciplinar de abordagem promove o tratamento padronizado por meio da adesão a guidelines internacionais e permite a auditoria de serviços clínicos e, por esses motivos, é mais provável que ofereça atendimento de maior qualidade aos doentes com cancro do pulmão.

O Grupo Trofa Saúde dispõe de uma equipa multidisciplinar especializada em cancro do Pulmão. O grupo multidisciplinar do pulmão é constituído por elementos de diferentes áreas clínicas: Pneumologia, Cirurgia, Imagiologia, Oncologia Médica e Radio-Oncologia.

Todo o doente com cancro do Pulmão é avaliado pelo grupo multidisciplinar em reunião de decisão terapêutica, onde é delineada a estratégia de tratamento. Após o término das terapêuticas previstas, os casos são reavaliados em reunião, para apreciação de resultados e orientação clínica.

O Grupo Multidisciplinar do Cancro do Pulmão do Grupo Trofa Saúde, que tem a sua sede no Centro Oncológico do Trofa Saúde Hospital Senhor do Bonfim, tem, também, como prioridades a elaboração e aplicação de protocolos de diagnóstico, estadiamento, tratamento e seguimento como garantia da boa prática e consequente avaliação sistemática dos resultados.

O último, e mais ambicioso, protocolo elaborado pelo Grupo é o do Rastreio do Cancro do Pulmão com a TC Torácica de baixa dose. O objetivo deste rastreio é detetar, em população selecionada e que queira participar no rastreio, a doença em fase inicial de modo a permitir acesso a tratamento curativo e diminuir a taxa de mortalidade atribuível a esta doença.

Redigido por Dr. João Sobrinho Carvalho (OM55347), Oncologista no Trofa Saúde Hospital Senhor do Bonfim, Braga Centro e Trofa

Voltar

26 março 2020

Maternidade no Trofa Saúde Hospital na Trofa

05 março 2020

Cancro do pulmão: abordagem multidisciplinar

01 março 2020

Pólipos da Vesícula